7/22/2014


          Curtir

7/06/2014


hqe por Valentinepaz

Bem-vindo ao Universo dos Quadrinhos Eróticos e Adultos

6/06/2014

5/20/2014

Qual a personagem mais sexy das Histórias em quadrinhos?
                                Via Uol



5/19/2014


                      Uma infinidade de quadrinhos eróticos 
                                       Novas comics
Uma visão interessante de vários autores. São quadrinhos criados e destinados à internet. Encontramos bons desenhistas e argumentos nem sempre tão bons. Confira, mas não se obrigue a consumir.

5/12/2014

EROTIC COMICs

Uma visão geral do erotismo e pornografia adulta em quadrinhos


Na Inglaterra, os quadrinhos eróticos "Janet at War" por Norman Pett, ajudaram a levantar a moral dos soldado britânicos durante a segunda guerra mundial.

Os Melhores quadrinhos eróticos por grandes artistas

5/04/2014

Azul é a cor mais quente

“Azul é a cor mais quente”

Confira as ilustrações da HQ que inspirou o longa
Clémentine tinha 15 anos quando avistou Emma na rua pela primeira vez entre transeuntes apressados. Apesar de lutar contra o turbilhão de sensações que lhe vinham à tona cada vez que pensava na misteriosa Emma e seus cabelos azuis, Clémentine sabia que não poderia controlar seus desejos por muito tempo. Enfrentando os olhares alheios e a moral vigente, Clém entrega-se a essa intensa relação, descobrindo sua sexualidade e seu lugar no mundo.
É esse o enredo da história em quadrinhos adulta Azul é a cor mais quente (Le bleu est une couleur chaude). A obra, escrita e desenhada pela francesa Julie Maroh, serviu de inspiração para o longa vencedor da Palma de Ouro do Festival de Cannes deste ano, La vie d’Adele (Azul é a cor mais quente) do diretor franco-tunisiano Abdellatif Kechiche.
Desde a estreia em Cannes, onde foi bem recebido, o  filme causou alvoroço por conter longas e picantes cenas de sexo protagonizadas por Adèle Exarchopoulos, atriz que interpreta Adèle – a Clémentine dos quadrinhos – e Léa Seydoux, que vive Emma.





5/03/2014


Quadrinhos: Revolução, Milo Manara



Kay é uma dançarina profissional que vai participar de um teste para um programa televisivo e, durante a ´´entrevista´´ com o diretor artístico, é seqüestrada por um grupo revolucionário. Enquanto isso, do outro lado da cidade, um redivivo Robespierre está realizando uma nova Revolução Francesa, onde as cabeças que rolam da guilhotina não são mais as de uma nobreza corrupta, mas sim as de todo um novo Olimpo televisivo: jornalistas, diretores, publicitários, ninguém escapa da voraz máquina de matar. Kay precisa usar toda a sua habilidade corporal e sua sensualidade para poder salvar seu pescocinho.
Além do refinado traço de Milo Manara, Revolução oferece uma crítica contundente ao sistema de celebridades televisivas que toma nosso cotidiano, atingindo tanto o público fã do quadrinho erótico europeu quanto o leitor interessado na crítica das mídias modernas.




9/18/2013

Oito webcomics sensuais para ler com a porta trancada

Oito webcomics sensuais para ler com a porta trancada

Medical treatment

Medical treatment

Giovanna Casotto

Poucos quadrinhos eróticos são tão explícitos como aqueles desenhados pela italiana Giovanna Casotto, espécie de embaixatriz italiana do sexo ao lado da atriz pornô Ilona Staller, a famosa Cicciolina. Em uma área dominada por profissionais do sexo masculino, Casotto obteve reconhecimento e sucesso pela Europa e Estados Unidos com suas ilustrações impecavelmente realistas. E a maneira como atinge esse elogiado realismo só serve para aumentar o interesse da crítica e, especialmente, dos leitores: ela tira fotos de si própria nas mais variadas posições para depois utilizar como base de seus desenhos. Quer mais? Nas palavras dela: ´´Minhas histórias têm inspiração em meus sonhos, no que gostaria de experimentar e no que já experimentei…”.
O mundo virtual dos desenhos eróticos está abrindo as portas para novos talentos. Está mais que comprovado. É só conferir os acessos e a grande procura nos programas de busca. Todo link é válido, mesmo quando a qualidade não é das melhores. Mas o tempo deve ajudar. É evidente que a nova linguagem não será idêntica à dos antigos quadrinhos. Estamos em plena era da web 2.0 e surgem diariamente novas animações elaboradas com novos e sofisticados recursos gráficos.
Não podemos nos restringir apenas à banda erótica na web. O explícito nem sempre é o mais erótico e o erótico nem sempre precisa ser explícito. Portanto: asas à imaginação e à criatividade. Vamos em busca de novos links e informações que proporcionarão o desenvolvimento de novos talentos. Enquanto isso, como não temos acesso à todas inovações, continuamos trocando figurinhas nos blogs mais quentes ou diferenciados na web. Vamos distribuindo links e encontrando boas falas, mesmo que seja aos poucos, em nosso restrito e contido cotidiano. Enquanto isso podemos revisar os melhores artistas dos quadrinhos, do tempo em que os desenhos ainda eram feitos  à lápis.
 
Alex Raymond foi um artista que marcou época, tendo emplacado quatro grandes sucessos do mundo dos quadrinhos: Flash Gordon, Nick Holmes, Jim das Selvas e o Agente Secreto X-9.
Dono de um traço único e estilo clássico, Raymond chegou a antever o futuro nas páginas de Flash Gordon, com a criação da mini-saia, desenhos de foguetes que seriam estudados pela Força Área Americana devido ao seu design, e outras idéias que viriam a tornar-se realidade nas mãos da NASA.
  
“Mas foi com Flash Gordon que Raymond atingiu o sucesso absoluto. A tira, futurista, narrava as aventuras de Flash, sua namorada Dale e o professor Zarkov, no planeta Mongo, contra a cruel tirania do imperador Ming. Flash Gordon pouco tinha de ficção científica, servindo mais de desculpa para Raymond exercitar sua imaginação apocalíptica.Flash Gordon transformou-se num sucesso pela beleza do estilo de Raymond, cujos desenhos – limpos e claros -pareciam ter se inspirado nas pinturas de Michelângelo. E se em Flash Gordon a eterna luta entre o bem e o mal se manifesta de maneira simplória, com uma história que não era lá essas coisas, a concepção plástica da mesma compensava tudo.”
 

9/02/2013

  • Fotomontagem/Divulgação
    As obras "Macbeth" e "A Tempestade", adaptação da editora Nemo
    As obras "Macbeth" e "A Tempestade", adaptação da editora Nemo
As obras "Macbeth" e "A Tempestade", do dramaturgo e poeta inglês William Shakespeare, foram adaptadas para os quadrinhos pela editora Nemo. Os livros fazem parte da coleção "Shakespeare em Quadrinhos", a mesma que já lançou "Romeu e Julieta", "Sonho de Uma Noite de Verão" e "Otelo". 
Com cerca de 60 páginas, os livros contam com linguagem juvenil as histórias que já foram adaptadas para cinema, TV e teatro. "Macbeth" foi ilustrado por Marcela Godoy e Rafael Vasconcelos e "A Tempestade" por Lilio Parra e Jefferson Costa. Os livros têm preço sugerido de R$ 39,90 e estão disponíveis nas maiores livrarias. 
Ampliar

Veja obras clássicas da literatura que viraram quadrinhos20 fotos

19 / 20
:: DOM CASMURRO - Obra do autor brasileiro Machado de Assis que tem como protagonista os jovens Bento e Capitu ganha versão da editora Ática. Ilustrada por Rodrigo Rosa e com roteiro de Ivan Jaf, tem 88 páginas Fotomontagem/UOL

5/13/2013

                                         
                                          Quadrinhos Eróticos selecionados com arte

Snap Shots

Get Free Shots from Snap.com

Arquivo do blog

Colaboradores